quinta-feira, 3 de maio de 2012

INHAME E HORMÔNIOS!!

O inhame apresenta em sua composição uma saponina de ação esteroidal, que age de forma semelhante e que interfere em nossas hormônios,chamada diosgenina. Tem uns grupos de estudiosos Koreanos que tem publicado resultados importantes sobre o inhame e à diosgenina. São estudos em 2 ou 3 áreas. Uma delas é a capacidade da diosgenina em aumentar a formação de colágeno tipo 1 e estímulo a osteoblastos, melhorando toda a matriz óssea para depósito de minerais, especialmente o cálcio. Outra linha de pesquisa é na capacidade fitoestrogênica do inhame, que já se mostrou efetivo em reduzir a proliferação de células de câncer de mama. E este mesmo grupo que estuda esta parte hormonal, já andou publicando, ainda que com baixa relevância estatística, possível potencial da diosgenina a ser utilizada como terapia de reposição hormonal, em mulheres pós menopausadas. Em contrapartida, há uns pesquisadores australianos, da Universidade de Queensland,que já demonstraram aumento da fibrose renal, em ratos, com uso prolongado deste inhame, que na maioria destes estudos, o utilizado é sempre o mexicano. Fica a dica para pesquisas científicas com o nosso inhame. 

5 comentários:

Mônica Menezes disse...

OLá Henrique!
Em um forum de nutrição em 2010, uma nutricionista citou o inhame entre os alimentos a serem evitados por pacientes com histórico de câncer de mama, assim como a linhaça e a soja. Afinal, qual é o caso?rsrs...
Grata

Henrique Soares disse...

Mônica, não gosto muito de falar sobre algo que eu não vi, não assisti, pois sempre existe um contexto envolvido, mas tudo que tem ação fitoestrogênica pode ser positiva ou negativa quando o assunto é câncer de mama. Note que as menores taxas de câncer de mama no mundo são no oriente com consumo de soja, fermentada, ao longo da vida.

Mônica Menezes disse...

Enfim, quando uma paciente sua tem histórico de câncer de mama, você recomenda que retire o inhame do cardápio? recomenda que tire, também, a linhaça e a soja?rsrs...

Henrique Soares disse...

Tudo depende do quadro individual, e não apenas do histórico. Como estão os exames de hormônios e dos marcadores bioquimicos de câncer. Tem médico que solicita mais de 10 marcadores diferentes.

Mônica Menezes disse...

Ok! grata!