terça-feira, 26 de junho de 2012

Revista VEJA: Côco pode ou não pode??

Gordura de côco deve ser consumida com parcimônia como qualquer outra gordura. Meus artigos estão no blog, em estudo que fiz com outra colega nutricionista mostrando que o óleo de côco reduz os triglicerídios, reduz inflamação e circunferencia abdominal. E vários trabalhos mostram que a gordura saturada, presente no côco, aumenta o HDL, e geram energia para atividade física, reduzem a perda de massa muscular, tem ação antifúngica, entre outras funções. Aqui no blog já mostrei vários outros trabalhos científicos. Observar também que o ácido laúrico, principal componente da gordura do côco, por ser de cadeia média, não se deposita nos TAG adipocitários, e é facilmente oxidado nas mitocôndrias por não necessitarem de carreador (carnitina) para entrar nestas organelas. Mas para quem é sedentário, está com alterações hepáticas ou já esteve, como uma hepatite, quem bebe álcool, quem está com esteatose hepática, quem tem hipercolesterolemia familar, não recomendo. Melhor que o óleo de côco, é comer o côco. Mas é lastimável a reportagem da VEJA tentando colocar apenas uma verdade. Há casos e casos, há os que podem comer côco, há os que não podem comer côco. Gordura de côco tem que entrar em substituição à gordura do leite, da gordura hidrogenada e da carne na dieta. Há que se considerar a porcentagem da gordura saturada da dieta. Se o paciente aceitar reduzir estas fontes, associar com fontes de ômega-3 e ômega-9 (ex: cozinha o peixe com óleo de côco e rega com azeite na hora de servir), além de reduzir os carboidratos e o álcool, tratar primeiro o fígado, o côco pode entrar SIM, sem nenhum problema.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

BACTÉRIA PROBIÓTICA É SEMPRE PROBIÓTICA?

Este último sábado terminamos a segunda parte do curso de bioquimica da nutrição, alimentos e correlações clínicas. Sou suspeito para dizer, mas acho que deu tudo muito certo. Fiquem a vontade vocês que fizeram o curso e que lêem o blog para fazer seu comentário. Porque eu insisto tanto em falar de bioquimica e estudá-la? Veja o caso do lactobacilus. Já há algum tempo venho dizendo que a nossa conduta (eu e minha esposa Lílian) que enquanto nutricionistas, quando tratamos a disbiose intestinal, preferimos fechar primeiro a mucosa intestinal, reparar o intestino, matar bactérias patogênicas para então entrar com os probióticos; ou ao menos entrar logo com probióticos específicos que fecham mucosa intestinal e em doses baixas. E outra fator que vínhamos observando há algum tempo mas agora tenho uma metaanálise para comprovar isso, é que nem todo microorganismo probiótico é bom para tudo. O lactobacilus acidophilus, o mais comum dos probióticos, muito prescrito,  parece estar relacionado com o ganho de peso e a obesidade, e em humanos. Sempre afirmei que adulto precisa mais de bifidobactérias do que lactobacilus, já fiz até consultoria para Danone sobre o ACTVIA e postei aqui há algum tempo. Não vou cansar de repetir, não há 100% certo nem errado. E isto é importante, que estejamos estudando sempre, para saber o que prescrevemos e vc que é leigo, possa receber o melhor e mais correto tratamento de nós profissionais. Obrigado às quase 40 pessoas que fizeram o curso, espero ter contribuído. Próxima postagem vou falar da reportagem da VEJA desta semana (aiai).

Desejar ler mais:

Microb Pathog. 2012 May 24. [Epub ahead of print] Comparative meta-analysis of the effect of Lactobacillus species on weight gain in humans and animals. Million M, Angelakis E, Paul M, Armougom F, Leibovici L, Raoult D.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

VITAMINA D E ANTIENVELHECIMENTO!!

Acabei de terminar a 2ª parte do curso de bioquimica da nutrição, que será neste sábado. Primeira parte foi sábado passado. E dentro de tudo que estava lendo, acabei de novo na vitamina D (que na verdade vou falar no curso de bioquimica de micronutrientes com suplementação a partir de agosto; primeira turma em Salvador), e sua participação no aumento da atividade das telomerases. Telomerases são enzimas capazes aumentar os telômeros, estruturas ligadas aos nossos cromossomos, garantindo um envelhecimento saudável às células, ou como muitos gostam de chamar, seria uma das formas de promover o retardo do envelhecimento ou dieta antiaging. Muitos trabalhos mostrando que a suplementação de vitamina D pode aumentar a atividade das telomerases e que o status da vitamina D no sangue está correlacionado a senescência das células, ou seja, a depender do nível de vitamina D de cada um, as células estão funcionando melhor ou pior, com maior ou menor risco de câncer, demências, falhas renais, entre outras. Já vou usar estas informações com Lílian, minha esposa, atendendo nossos pacientes, e dividirei estas informações nos próximos cursos com todos.

CONSEQUÊNCIAS DA DISBIOSE!!

Disbiose é um termo usado para confirmar que toda a saúde do trato gastrointestinal está ruim, em especial, para demonstrar que existe uma proliferação de microorganismos patogênicos (giárdia, ameba, estreptococus, stafilococus, etc) e baixa concentração de microorganismos probióticos, ou seja, promotores de saúde. Estes microorganismos patogênicos tem capacidade de fermentar e converter o triptofano em indol, este vai ao fígado e é transformado em indoxil sulfato, o que chamamos de indican, que cai no sangue, é filtrado e aparece na urina (faço na clínica o exame bioquimico funcional de indican urinário para detectar disbiose intestinal). O resultado em geral é inflamação intestinal, com redução de neurotransmissores intestinais como serotonina e melatonina, consequente obstipação (prisão de ventre), com permeabilidade aumentada, favorecendo a passagem de fragmentos destas bactérias patogênicas e de macromoléculas causadores de alergias e inflamações pelo corpo. Neurônios inflamados morrem mais; adipócito (célula de gordura) inflamado prolifera e cresce mais; hepatócito inflamado produz mais colesterol e fibrosa mais; pâncreas inflamado promove hipersecreção de insulina, e várias outras situações. É preciso reverter, e propomos ao paciente o tratamento dos 5R´s. Para quem segue a linha da nutrição funcional, sabe o que são estes 5R´s, e como fazê-lo. Quando tenho resultados de pacientes como o da foto, coloco na relatório as possíveis causas e sugestões de tratamento. Na foto, à direita, de pacientes analisados na semana passada, observa-se disbiose leve (neste caso em geral só dieta corrige, as vezes um probiótico ou outro suplemento específico a depender do caso; paciente da Dra Patrícia Kanno, nutricionista), e à esquerda, disbiose intensa (necessidade de suplementos, paciente da Dra Marli Cabral, nutricionista). Clicando na foto se vê melhor a diferença.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Creatina, pipoca e basquete!!

O título ficou uma mistura engraçada, mas explico. Esta semana minha esposa atendeu um cliente, um adolescente que treina basquete em um clube daqui de Brasília, e perguntou sobre os benefícios da creatina. Creatina é um tripeptídio, formado por arginina, glicina e metionina, que tem como função principal, se ligar ao fósforo nos músculos para garantir energia quando estes entram em movimento. Mas com uma característica importante: exercícios que exigem muita força, velocidade e em curto espaço de tempo, mais anaeróbios. Esta é a relação com o "Pipoca", ou João José Viana. Pipoca foi jogador de basquete com grande potencial nas décadas de 80 e 90, foi meu idolo inclusive porque jogou no flamengo, na seleção brasileira, na época mágica de Oscar e companhia. Pipoca é hoje professor colega meu da Universidade, leciona na educação física, de uma gentileza e simpatia. Na época de jogador fazia enterradas fantásticas, e naqueles momentos, com certeza, para saltar e enterrar, o gasto de creatina no músculo era enorme. Todo esporte em grupo, tipo basquete, vôlei, futebol, tem característica mais aeróbia, mas determinados momentos do jogo, determinadas posições dos atletas, exigem anaerobiose muito alta, caso dos pivôs em situação de enterrada. Ou seja, o uso da creatina não definido se o esporte é ou não anaeróbio, mas se nos momentos em que vc o pratica, há exigência das vias anaeróbias e portanto de maior quantidade de creatina muscular. Pipoca, forte abraço e obrigado pela foto. Diferença de 1,70m para 2,00m, hein? 

terça-feira, 19 de junho de 2012

Tireoidite de Hashimoto e Vitamina D!

Esta é uma doença autoimune, ou seja, o corpo produz anticorpos contra si mesmo, neste caso, contra a tireóide, glândula responsável, dentre outras várias funções, pela peristalse intestinal (intestino preso é possibilidade de alteração na tireóide) e pelo gasto energético do corpo (ganho de peso também pode ser sinal de alteração tireoidiana). E o número de pacientes que apresentam alteração tireoidiana é impressionante, cresce absurdamente, não só em mulheres. Costumo dizer em cursos e aos pacientes que a tireóide é uma espécie de para-raio, inúmeros fatores ambientais prejudiciais à saúde, acabam indo ao encontro da tireóide. E nutricionalmente tenho verificado a associação entre deficiência de vitamina D e doença autoimune na tireóide. E a literatura tem respaldado esta idéia, com forte indicação para a suplementação deste nutriente. O problema é que suplementação de qualquer coisa deve ser feita com cuidado, após avaliação detalhada, até porque vitamina D é um hormônio, age e funciona como tal.

Leia mais:
Relative vitamin D insufficiency in Hashimoto's thyroiditis. Tamer G, Arik S, Tamer I, Coksert D.
Thyroid. 2011 Aug;21(8):891-6.

Vitamin D and autoimmune thyroid diseases. Kivity S, Agmon-Levin N, Zisappl M, Shapira Y, Nagy EV, Dankó K, Szekanecz Z, Langevitz P, Shoenfeld Y. Cell Mol Immunol. 2011 May;8(3):243-7.


segunda-feira, 18 de junho de 2012

RESULTADOS DIFERENTES, TRATAMENTOS DIFERENTES!

A foto acima mostra o resultado do teste de estresse adrenal (que faz parte dos 5 exames bioquímicos funcionais que realizo na clínica), em 3 pacientes atendidos no mesmo dia, na semana retrasada. Achei muito interessante em colocá-los aqui para dar a noção a todos sobre as diferenças que as pessoas apresentam em seu metabolismo. O paciente mais a direita não apresenta estresse adrenal, o do meio estresse adrenal moderado, e o mais a esquerda já o estado de fadiga adrenal. As glândulas adrenais são responsáveis, dentre outras coisas, pela produção de cortisol. Produzir cortisol é normal, pois precisamos do cortisol para luta e fuga, para nos mantermos atentos, focados, para cicatrizarmos, até para não termos hipoglicemia. Estresse adrenal significa aumento na produção de cortisol, ou seja, o paciente do meio pode estar com alteração do sono, pode apresentar falta de determinados micronutrientes para combater o estresse crônico, pode estar pulando refeições, pode estar comendo carboidratos refinados, deve estar com os adipócitos inflamados, e pode apresentar possíveis resultados como hiperglicemia, diabetes, queda da resposta imune, gripes e resfriados constantes, osteopenia e osteoporose, hipotiroidismo, entre outros. Para dar uma noção, neste pacientes precisamos reduzir o sódio da dieta. Já o paciente da esquerda, com fadiga adrenal, precisamos reduzir o magnésio e aumentar o sódio, aumentar os níveis de ácido pantôtenico (vitamina B5), e outras medidas. Ou seja, tenho uma ferramenta importante para buscar as causas dos problemas apresentados pelos pacientes, e os tratamentos mudam conforme os resultados. E o que acho importante e uma vantagem destes exames que faço, é que podem ser feitos a qualquer hora do dia. E tudo isso coloco nos laudos que faço e envio para o paciente e para o seu nutricionista ou médico.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

AMOR INCONDICIONAL!!

video
Estes são os maiores presentes da minha vida. Descobri o que era amar quando eles nasceram. Sou eternamente grato à minha esposa e a Deus por terem me dado estas duas preciosidades. E para satisfação de um pai, não há coisa melhor quando seus filhos aprendem aquilo que vc ensina, inclusive nos hábitos alimentares. É assim que eu e minha esposa enxergamos nossos pacientes, nossos alunos, como se cada um fosse um filho (sem comparar uma coisa com a outra, claro), mas o objetivo é cuidar e sempre educar, fazer educação nutricional, para mudança de hábitos. Este inclusive é um dos objetivos deste blog desde que foi criado. Igor e Guilherme vão a mercados, mercearias, compras junto comigo desde os 2 anos (hoje com 4). Filhos, amo vcs com todas as minhas forças.

terça-feira, 12 de junho de 2012

NÃO EXISTE ALIMENTO FUNCIONAL, EXISTE NUTRIÇÃO FUNCIONAL!!

Mais uma prova disso é o tão alardeado chá verde, obtido da planata Camellia sinensis. Tido e havido como antiinflamatório, o chá verde a depender da dose e para quem, pode ter efeito contrário. Isto mesmo, o chá verde, rico em epigalocatequina 3 galato, pode se tornar pró-inflamatório. Basta ler o que acaba de ser publicado no Jornal de Bioquimica Nutricional:

Dietary supplementation with high dose of epigallocatechin-3-gallate promotes inflammatory response in mice. The Journal of Nutritional Biochemistry Volume 23, Issue 6 , Pages 526-531, June 2012. 

Tudo na vida é moderação. Não existe o 100% correto nem o 100% errado.

AGRADECIMENTO!

A foto acima mostra o Sr. José Maria e Sra Dalva, no centro. Ambos foram semana passada na clínica aqui em Brasília para fazer os exames bioquimicos funcionais comigo, encaminhei para que fizessem consulta com meu parceiro Marcelo, também na foto. O detalhe é que ambos, Sr José e Sra Dalva, vieram de Belém (PA), para fazer os exames, a partir de informações e acompanhamento deste blog. Pedi a eles que tirassem uma foto conosco e autorização para publicar. Ambos são muito preocupados com a qualidade de vida, desejam ter uma alimentação equilibrada para evitar quaisquer surpresas desagradáveis nesta fase da vida. Sr José e Sra Dalva, agradeço do fundo do coração a credibilidade e confiança. Espero que continuem acompanhando o blog e que possamos ajudá-los a se manterem fisicamente, mentalmente e espiritualmente fortes e saudáveis.

Anaeróbio não é sinônimo de hipertrofia!!

O câncer continua sendo uma das mais misteriosas doenças da civilização moderna. A maior parte dos tumores tem perfil de desenvolvimento através da anaerobiose, ou seja, em baixa concentração de oxigênio intracelular. Ao mesmo tempo, se observa que para o crescimento destes tumores existe a necessidade de estímulo de alguns fatores intracelulares, como mTOR, e baixa ativação dos genes supressores. Fazer exercício anaeróbio não necessariamente irá estimular mTOR pois isto depende de muitos fatores, vejo eu como principal, a intensidade com que o exercício é feito. Inúmeros trabalhos, e o Brasil é de ponta nesta área da ciência, mostram que animais submetidos a exercícios anaeróbios reduzem a progressão do tumor, em especial de pulmão. Neste caso especifico, a atividade aeróbia é sim indutora de câncer pois os pulmões são os tecidos com maior volume de oxigênio do corpo, e portanto com maior propensão ao desenvolvimento de radicais livres de oxigênio. O exercício aeróbio de alta intensidade tem se mostrado facilitador de câncer, mas o de baixa intensidade não, como um tai-chi-chuan, yoga, caminhada, etc. Mas hoje tenho a visão que é sempre melhor ser ativo, praticante de atividade física, seja qual for, do que ser sedentário; mesmo atividades anaeróbias são capazes de estimular mecanismos de apoptose de células tumorais, ou seja, elas morrem antes de entrarem na fase de propagação ou não sofrem metástases. Fundamental associar a uma dieta anticancer. Carboidratos, proteinas e lipidios precisam ser muito bem escolhidos, e antioxidantes e antiinflamatórios dietéticos a todo instante.

Brasil de ponta:

de Lima C, Alves L, Iagher F, Machado AF, Kryczyk M, Yamazaki RK, Brito GA, Nunes EA, Naliwaiko K, Fernandes LC. Tumor growth reduction in Walker 256 tumor-bearing rats performing anaerobic exercise: participation of Bcl-2, Bax, apoptosis, and peroxidation. Appl Physiol Nutr Metab. 2011 Aug;36(4):533-8. Epub 2011 Aug 18.

Paceli RB, Cal RN, Dos Santos CH, Cordeiro JA, Neiva CM, Nagamine KK, Cury PM. The influence of physical activity in the progression of experimental lung cancer in mice. Pathol Res Pract. 2012 Jun 7. [Epub ahead of print]

MUSCULAÇÃO, DIETA E SUAS CONSEQUÊNCIAS!

Estou fazendo esta postagem porque no fim de semana passado em Caldas Novas, como é muito comum, sempre surge a pergunta. O que é mais efetivo para perda de gordura corporal, exercício aeróbio ou anaeróbio? A foto que vc vê acima, representa o metabolismo da glicose quando induz a formação de hexoaminas, mostrado em verde, no metabolismo biosintético, ou seja, de formação de novas proteínas. Isto acontece nos exercícios visando hipertrofia, como musculação. O problema é que o artigo fala da hipertrofia cardíaca, patologia. E veja que para estimular via biosintética, o metabolismo de ácidos graxos, capacidade de queimar gordura, reduz (em vermelho). E vamos falar no curso de sábado sobre outros efeitos das hexoaminas, como diabetes e câncer, todos provenientes da mesma via, estimulados em situação de hipóxia, exercícios anaeróbios, alto consumo de carboidrato e proteína, muito comum nestes tipos de exercícios. Impressionante como quanto mais se conhece, mais se chega a conclusão que é preciso haver o meio termo, a moderação, em tudo. 

segunda-feira, 11 de junho de 2012

O QUE LINHAÇA E MANDIOCA TEM EM COMUM?

A presença de compostos bociogênicos, ou seja, podem induzir a bócio e hipotiroidismo!! Estas substâncias quando hidrolisadas por enzimas, formam açúcares, ácidos graxos, aldeído ou cetona e ácido cianídrico. O ácido cianídrico é o grande composto tóxico para nós. Vou falar disso e mais, vou mostrar a relação destes compostos com a função mitocondrial e capacidade de geração de energia, no curso de bioquímica que acontecerá nos próximos dois sábados aqui em Brasília. Cartaz ao lado mostra mais detalhes, do curso que ESTÁ CONFIRMADO. Últimas inscrições. A você que deseja não sofrer destes problemas indicados, marque uma consulta conosco ou com os nutricionistas que fazem meus cursos, que eles saberão dizer como consumir estes alimentos. Se você sofre de hipotiroidismo, ao menos evite o consumo excessivo.

sábado, 9 de junho de 2012

REAÇÃO DE MAILLARD? Boa ou Ruim

Os produtos da Reação de Maillard (PRM) são substâncias geradas no processamento térmico (ex: torrefação dos grãos do café) ou cocção de alimentos (ex: frango assado ou cozido, queijo derretido, casquinha do pão de forma, casquinha do bolo, sucrilhos, entre outros) ou mesmo em tempos prolongados de armazenamento. Mas para que estes produtos se formem se faz necessária a reaçao prolongada entre açúcares redutores (frutose, glicose, lactose, ribose) e aminoácidos provenientes de proteínas ou peptídios. No final das reações normalmente os produtos adquirem a cor amorronzada, fruto da produção das melanoidinas. Existem ínúmeros PRM, como a pentosidina, que pode provocar enrijecimento de artéria coronária, e outros fatores indesejáveis como desnaturação de enzimas digestivas e redução na absorção de micronutrientes. Porém muitos estudos tem mostrado que os PRM, a depender da quantidade, do tipo formado, do tempo de cocção, processamento e armazenamento, podem trazer efeitos benéficos para a saúde, como efeito prebiotico (melhora funciomanamento intestinal) e redução de algumas metaloproteinases, enzimas relacionados a quadros inflamatórios, câncer e aterosclerose. Mas atenção, a reação de maillard que acontece dentro do nosso corpo, por aumento da glicemia, da frutosemia ou do aumento da ingestão de ribose (já abordei isso aqui no blog) chamada de glicação de proteínas, não tem mostrado nenhum efeito benéfico até o momento.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Ceramidas! Boas ou Ruins?

Eu diria que os dois, dependendo da condição metabólica do indivíduo. Ceramidas são esfingolipídios formados especialmente a partir do ácido palmítico, ácido graxo de 16 carbonos, totalmente saturado e de alto poder aterogênico. Mas seu poder aterogênico só se expressa na forma de ceramidas quando existe condição inflamatória associada e redução da biogênese mitocondrial, ou seja, as gorduras saturadas e as ceramidas podem ou não se tornar maléficas. As próprias ceramidas ajudam a formar a esfingosina 1 fosfato, que faz parte da estrutura do HDL e determina parte da sua capacidade antiinflamatória e antioxidante. Além disso, as ceramidas são parte importante na estrutura do cabelo, funcionando como uma espécie de cola ou cimento que ajuda a manter unidas as escamas da queratina capilar. Sem elas, os cebelos desidratam mais rápido e se tornam mais quebradiços. Vc sabia que a substância 2-oleamido-1,3-octadecanediol é uma ceramida? Marca bem conhecida da cosmética, lá de Paris, tem esta substância em seus produtos. 

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Mais uma semana, mais um fim de semana cansativo, e a jornada em Caldas Novas vem esta semana. Que ela venha. Vc que vai, CONTE COMIGO!!

video
Quando tudo parecer difícil, cansativo, as luzes parecem sumir, a escuridão aparecer, não tenha medo, é apenas a lua pedindo passagem para brilhar novamente a sua vida. Oh baby, fique comigo, conte comigo.