sexta-feira, 29 de maio de 2009

Bactérias intestinais criam novas vias para formação de lipídios


Estudo que acaba de sair (junho 2009) sugere que fungos benéficos ao nosso intestino foram capazes de criar uma nova rota para dessaturação e elongação de ácidos graxos essenciais, ou seja, da série w3 e w6. Segundo os autores, a levedura ou fungo Saccharomyces cerevisiae foi capaz de promover formação de ácidos graxos novos, o 20:2 w-6 e o 20:3 w-3, por ação de uma enzima até então desconhecida, a delta 8-dessaturase. Por esse mecanismo, a formação do DGLA (dihiomogamalinolênico) que é precursor de eicosanóides da série 1, e do EPA que é precursor de eicosanóides da série 3 e 5 (todos antiinflamatórios), pode ser estimulada, o que traz benefícios em pacientes que porventura tenham polimorfismos para as enzimas tradicionais, especialmente as que inciam a cascata de dessaturação (delta 6 dessaturase. Isso traz à tona mais uma vez a importância de cuidar da ecologia intestinal, aumentando a presença da microbiota probiótica, por exemplo com levedura de cerveja, fonte de Saccharomyces cerevisiae, levando à menor inflamação e redução de doenças como diabetes, hipertensão, lupus, gota, artrite, dislipidemias, alergias, entre outras.

Para ver melhor a figura, clique diretamente nela.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Maça reduz câncer gástrico e de intestino


Trabalho publicado no The Journal of Nutrition afirma que o consumo de maçãs ajuda a prevenir e tratar câncer de cólon e tem a capacidade de proteger os danos causados pelo consumo de alguns antiinflamatórios. O trabalho se refere à ação dos polifenóis, encontrados especialmente nas cascas das frutas, e que são capazes de proteger o DNA. Os principais polifenóis encontrados e testados foram o ácido clorogênico (também encontrado na alcachofra), ácido cafeico (também no café), catequinas (também no chá verde) e rutina (também no brocolis). Na mesma linha, outro trabalho do mesma revista, demonstrou que a maçã sem casca perde sua capacidade antioxidante e que quando fica estocada em geladeira por 3 meses, ocorre perda significativa de polifenóise e da atividade anticarcinogênica em 1/3, chegando a perder metade da capacidade quando estocada por até 6 meses. Portanto, a recomendação é de comprar nos dias especiais de hortaliças nos supermercados e feiras, consumir as frutas da época, consumir com casca, higienizadas e preferencialmente orgãnicas, e não estocar por longos períodos.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Dormir emagrece


Alterações do sono podem sim levar à obesidade. Dormir pouco favorece à obesidade por alguns fatores especialmente:
1 - Quem dorme menos tem mais cansaço durante o dia e se exercita menos.
2 - Quem dorme menos, dorme tarde, acorda demais durante a noite, tem mais tempo livre para beliscar, e em geral, são alimentos com alta densidade energética.
3 - Dormir pouco reduz a leptina, hormônio que estimula a saciedade e promove aumento do gasto de energia.
4 - Dormir pouco aumenta grelina, que provoca aumento do apetite e hiperatividade de enzimas lipogênicas, levando ao acúmulo de gordura.
5 - Dormir pouco reduz serotonina e melatonina, o que provoca períodos de compulsão durante o dia, ataques de geladeira, e apetite excessivo para fontes de carboidratos, em alguns por carboidratos doces e em outros por carboidratos salgados.

Ou seja, cuide do seu sono. Coma pouco a noite, prefira alimentos de fácil digestão, mastigue bastante, não ingira muito liquido, consuma fontes de triptofano, B3, B6, B9, zinco e magnésio (se necessário procure um nutricionista para verificar dieta e necessidade de suplementos), faça uma prece, dê boa noite para todos, escureça o ambiente e bons sonhos.

Para ler um bom artigo de revisão sobre o assunto, clique aqui.

Garfield que o diga: glutão que está sempre com sono.

Ficar sem comer engorda


Os trabalhos que demonstram que ficar em jejum por tempos prolongados pode levar à obesidade são cada vez mais comuns. Um recentemente publicado mostra que a grelina (na forma acetilada ou desacetilada), hormônio produzido no estômago vazio e já bem conhecido pela sua capacidade de aumentar o apetite, foi capaz de aumentar também as enzimas envolvidas na lipogênese (formação de gordura), como acetilCoa carboxilase, ácido graxos sintase e citrato liase. Além disso, enzima que hidroliza triglicerídios e coloca para o interior da célula adiposa, lipoproteína lipase, também aumentou. E uma aspecto fundamentaL; aumento da gordura visceral, que leva à problemas cardiovasculares, diferente da gordura subcutânea, que apresenta mais alterações estéticas.

A conclusão importante é que novamente temos um reforço na literatura para confirmar a necessidade de se fracionar a dieta e comer várias vezes ao dia, de 3 em 3 horas e casos mais graves de 2 em 2 horas.

sábado, 23 de maio de 2009

Como saber se o peso perdido não voltará?


Perder peso é fácil; perder gordura corporal é dificil; perder e manter a gordura longe é tarefa árdua.

Com este pensamento que doutrino minhas orientações dietéticas à pacientes e alunos. A principal dificuldade para um tratamento adequado do paciente sobrepeso/obeso é garantir que a gordura degradada não voltará, e as vezes com mais voracidade. Para isso é preciso garantir que o tecido adiposo e suas células foram "desinflamadas". A inflamação do tecido adiposo responde pela resistência à insulina e pela constante hiperplasia e hipertrofia de adipócitos, ou seja, enquanto ela existir, as células poderão se multiplicar e incorporar mais gordura.

Como ver se os adipócitos continuam inflamados? A idéia é verificar a presença de macrófagos adipocitários. Macrófagos são monócitos amadurecidos, presentes dentro do tecido, enquanto monócitos estão na circulação. Portanto, a análise de monócitos antes e no fim do tratamento pode nos nortear sobre a inflamação do tecido, mas não é um medida direta. Mas parece que novos exames mais fidedignos estão chegando, como o caso da NEOPTERINA. A Neopterina é um produto do catabolismo da guanosina trifosfato (GTP) e pertence ao grupo químico conhecido como pteridinas. É sintetizada por macrófagos após estimulação com a citocina interferon-gama e é indicativo de um estado imunológico pró-inflamatório. Há trabalhos (março 2009) que dosaram neopterina em gestantes com pre-eclampsia/eclampsia, e observaram aumento nestas pacientes, indicando que quando as gestantes passam por esta situação, estão com o sistema imune super ativado e passando por uma situação proinflamatória.

Portanto, acredito que a dosagem sanguinea de neopterina possa ser um próximo marcador para avaliar o tratamento do paciente obeso. Já há trabalhos que mostram que a beta-glucana (tipo de fibra encontrada na aveia) reduz a neopterina.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Diferença entre alergia e intolerância alimentar


Vou tentar explicar de forma simples para que muitos possam entender. A alergia ocorre quando o sistema imunológico (sistema de defesa do corpo) passa a acreditar que uma substância alimentar se tornou um antígeno, ou seja, algo perigoso e que não pertence ao nosso metabolismo. Para se defenderem dessas substâncias, as células do sistema imune produzem moléculas chamadas imunoglobulinas ou anticorpos. Então, essa reação estimula outras células especializadas, os mastócitos, a liberarem uma substância chamada 'histamina'. Ela provoca sintomas alérgicos que podem afetar o sistema respiratório (asma, tosse), digestivo dor abdominal, vômito, diarréia), a pele (urticária) ou o sistema cardiovascular.

Os alimentos frequentemente envolvidos na alergia alimentar são os que possuem alto teor de proteína, seja vegetal ou animal. Em geral, pessoas que comem muito rápido não digerem adequadamente estas proteínas e acabam absorvendo pedaços de proteína ou até mesmo proteínas inteiras, o que desencadeia a reação alérgica. Entre os alimentos que mais apresentam reações alergênicas encontram-se o trigo, as nozes, o camarão, os mariscos, o peru, a carne de porco, a banana, a batata, o tomate, o leite, o ovo, amendoins, os moluscos, a soja, algumas frutas cítricas e o peixe.

Já na intolerância alimentar ocorrem reações adversas ocasionadas pelos alimentos, mas que não envolvem o sistema de defesa do organismo. A intolerância mais comum é a do leite, que é provocada pela falta da enzima lactase no nosso corpo, responsável pela digestão do açúcar presente no leite (lactose).

Entre as substâncias que já foram relacionadas à intolerância estão os conservantes, os intensificadores de sabor, os corantes e acidulantes, ou seja, aditivios químicos encontrados nos produtos industrializados.

Para o diagnóstico bem feito, é preciso que o nutricionista faça um levantamento do histórico familiar, a descrição dos sinais e sintomas e o tempo decorrido a partir da ingestão de determinada comida, a lista dos alimentos suspeitos e a quantificação do alimento para o aparecimento dos sintomas. Isso sem contar testes bioquímicos e imunológicos.

O tratamento da alergia e da maioria das intolerâncias alimentares é feito com a exclusão de certos alimentos do cardápio ou com a redução de sua quantidade na dieta. A partir de então, é necessário sempre ler os rótulos dos produtos com o objetivo de identificar as substâncias alergênicas.

Mas, atenção, se determinados alimentos forem vetados definitivamente do seu dia a dia, você deve procurar substituí-los por outros fornecedores dos mesmos nutrientes. É esse, justamente, o objetivo da orientação alimentar: identificar o alimento agressor, através da dieta de eliminação, e evitar deficiências nutricionais, substituindo os alimentos causadores das manifestações adversas por outros nutricionalmente semelhantes.

Detalhe: uma pessoa pode ter alergia e intolerancia ao mesmo alimento - Intolerancia á lactose do leite e alergia à proteína do leite de vaca.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Folha magra que emagrece 2


A Cordia salicifolia cham (nome científico) ou Cordia ecalyculata Vell (nome botânico) ou Porangaba ou laranja do mato (nomes popularesd) é uma planta brasileira, muito comum em Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Bahia, Acre e Goiás, conhecida comercialmente como folha magra ou pholia magra. O que foi possível ler até o momento de trabalhos ainda incipientes é que a quantidade de alantoína desta planta é muito alto e portanto sua capacidade antiinflamatória também. Neste aspecto, a capacidade de reduzir a inflamação do adipócito visando tratamento da obesidade (especialmente abdominal) com manutenção do peso perdido é fundamental. Outro aspecto é fato de ser inibidora do apetite por reduzir os receptores CB1 no centro hipotalâmico; como age no sistema nervoso central, não recomendo o uso por conta própria, e o risco de se associar com outros nutrientes ou fitoterápicos que possam agir no mesmo local é grande; se for na forma de infusão (chá) os efeitos são menores, portanto, usar com chá verde pode ser uma boa, mas sem estar em jejum para ir malhar. As dosagens para uso podem variar de 150mg a 500mg, 30 minutos antes das refeições. Li relatos do uso também como cicatrizantes gástrico, ou seja, pode ser avaliado pelo nutricionista, seu uso em casos de gastrite e úlcera.

atenção: Há dois tipos de porangaba sendo comercializados no mercado porque existem duas plantas com o mesmo nome. A porangaba "verdadeira" é a cultivada no Sul do País. Já a "falsa", conhecida como chá de bugre ou congonha de bugre, cresce facilmente em qualquer região. Essa última tem outro nome científico: Casearia sylvestris ou Rudgea viburnoides (Cham.) Benth. (Rubiaceae). Os resultados fornecidos pelas duas plantas são parecidos, mas a Cordia salícifolia apresenta resultados mais interessantes. Procure um nutricionista funcional para fazer corretamente o tratamento.

Maltodextrina ou dextrose para ganho de massa?



Dextrose é o nome técnico da glicose, combustível essencial para todo praticante de atividade física. A glicose é um carboidrato simples de alto índice glicêmico (100), o que por consequencia favorece a liberação de insulina.
A maltodextrina é um produto derivado da hidrólise do amido e contém polímeros de glicose unidos (ligações fracas), portanto, é uma molécula maior e mais complexa, e com índice glicêmico um pouco menor que a glicose, porém ainda bastante alto (proximo a 90). No aspecto de liberação de insulina, também pode provocar estímulo ao pâncreas em alto nível, porém os picos são menores que a dextrose.
E ai vem as vantagens e desvantagens:
Para o ganho de massa muscular é preciso insulina para favorecer a captação de aminoácidos para o músculo, entretanto, picos insulinêmicos podem gerar risco de hipoglicemia no treino além de desvio da glicose para formação de triglicerídios, portanto, incorporação na forma de TAG no fígado e tecido adiposo.
Acredito assim, que para depois do exercício, se vc tiver feito apenas musculação (treino pesado), priorize a maltodetrina, que libera insulina mas sem picos tão altos quanto a dextrose. Se tiver feito musculação, e depois for dar uma " relaxada" na musculatura fazendo um aeróbico (10 a 15 minutos sejam leves ou intensos) use a dextrose.
Na dúvida, faça uma mistura 50% de malto com 50% de dextrose.
Fontes:
dextrose - "mel karo"
Maltodextrina - torrada
Suplementos - vc pode encontrar clicando aqui.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Cursos e estágios

Avisos importantes:

1 - Para quem desejar votar no blog, já está valendo, basta clicar no logo ao lado (top blog), e o procedimento de voto é bem rápido.

2 - Mudança de data do projeto Sexta Básica - Comunicamos que a palestra da Dra. Valéria Paschoal, dentro do projeto Sexta Básica, foi adiada para o dia 29 de maio, às 19 horas. Pedimos que confirme sua inscrição para esta data e informe seus dados: nome completo, número de inscrição no CRN-1, telefone e endereço para contato . Enviar para o e-mail: comunicacao@crn1.org.br

3 - Estágio - Estamos com vagas abertas para o curso de nutrição, engenharia de alimentos e engenharia de produção para estagiar em panificadoras do DF, onde todos os alunos passarão por 3 etapas de seleção sendo:

1ª etapa - Avaliação psicológica
2ª etapa - Curso de 12horas de capacitação na área de:
ü Rotinas Operacionais de Produção ou
ü Qualidade no Atendimento ao cliente ou
ü Postura profissional e Relações Humanas no Trabalho ou
ü Higiene.

Esses serão ministrados pelo Propan MG (Programa de Apoio ao Panificador), nos dias 1,2 e 3 de junho nas instalações do SEBRAE (SIA).

3ª etapa - Entrevista com o empresário panificador.

* A bolsa é de: 500,00 + vale transporte + lanche no local + fardamento

* Carga horária: 6horas diárias (30 horas semanais)

* Duração: 6 meses

* Requisitos: Ter conhecimento na área de Boas Práticas de Alimentação, ter conhecimento do manuseio do Manual de Boas Práticas, saber lidar com qualidade de produção.

OBS: Não é necessário experiência. Os interessados poderão realizar o pré-cadastro no site do IEL (www.sistemafibra.org.br/iel) até o dia 25-05-2009.

Curso de nutrição funcional e câncer em Brasilia

Curso de extensão do próximo dia 06 de Junho " Nutrição Funcional e Câncer ".
A inscrição deve ser feita através do site www.vponline.com.br .
Qualquer dúvida entre em contato pelo telefone.3202-4340 ou 8417-9931.
Será no auditório do Conjunto Nacional, no 3º andar - Sala 3.000.

Segue ainda nº de conta para efetivar depósito:

BANCO DO BRASIL.
AG. 0452-9
C/C: 39901-9
FAVORECIDO: SM CONSULTORIA EM NUTRIÇÃO E FITNESS


Para vizualizar o folder do curso e verificar detalhes, clique aqui.

Palestra gratuita em Brasília

Projeto Sexta Básica


Edição de maio terá palestra com a Dra. Valéria Paschoal

A edição de maio de 2009 do projeto Sexta Básica traz a, coordenadora científica do curso de Nutrição Clínica Funcional da VP Consultoria Nutricional/Divisão de Ensino e Pesquisa. A palestra acontecerá no dia 22 de maio, próxima sexta-feira, às 19 horas, com o tema “Nutrição Funcional – aplicações na prática clínica e esportiva”. O local será divulgado a partir de segunda-feira, no site do CRN-1 www.crn1.org.br

Os interessados podem inscrever-se pelo e-mail comunicacao@crn1.org.br . As vagas são limitadas.


Dra. Valéria Paschoal: Nutricionista; Mestre na área de Nutrição e Pediatria pela Unifesp – EPM; Editora Científica da Revista Nutrição Saúde & Performance; Coordenadora Científica e Docente dos Cursos de Nutrição Funcional da Universidade Moderna em Lisboa – Portugal; Coordenadora Científica do Curso de Nutrição Clínica Funcional da VP Consultoria Nutricional/Divisão de Ensino e Pesquisa; Docente dos Cursos de Pós Graduação de Nutrição Clínica Funcional e de Nutrição Esportiva Funcional da Divisão Valéria Paschoal de Ensino e Pesquisa; Diretora da VP Consultoria Nutricional; Autora dos Livros “Nutrição Clínica Funcional : dos Princípios à Prática Clínica” e “Suplementação Funcional Magistral: dos Nutrientes aos Compostos Bioativos; Membro do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional; Membro do The Institute for Functional Medicine – USA.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Abacate com cramberry e blueberry


Todos me cobram muito as receitas que invento. Infelizmente não paro para anotar nada pois gosto disso, de estar sempre reinventando. POr acaso, hoje no café da manhã fiz mais uma destas tentativas e gostei muito. Cortei um pedaço de uns 80g de abacate (sem agrotoxico) e misturei com geléia (sem açúcar e sem aditivos)de mirtilo (uva do monte - blueberry) e cramberry (uma espécie de cereja). Fiz uma pequena pasta para colocar na torrada/pão e ficou muito bom. O gosto da geléia é forte e portanto pra ciranças que precisam de frutas e não gostam de abacate por exemplo, pode ser uma boa pedida. Essas pequenas frutas tem grande quantidade de antocianidinas, resveratrol, quercitina, que são substâncias de altissimso poder antioxidante e antiinflamatório. Associados á grande quantidade de vitamina E, carotenoides, fitoesterois, fibras e ácido graxo oleico do abacate, se torna uma preparação muito indicado para pessoas com colesterol alto, risco de trombose, prisão de ventre, doenças articulares, gota, firmeza da pele, inclusive com boa ação diurética.

Tentem, inventem. Adoro a alquimia da cozinha.

Diabetes e festa

Ontem, quarta, foi meu aniversário e meus alunos da turma do 7º semestre do curso de graduação em nutrição da Anhanguera (em Brasilia) fizeram uma festa surpresa. Já havia ministrado aulas pela manhã e a a tarde, e a noite, como eu teria que dar aula de diabetes, aproveitei a mesa para discutirmos alimentos que seriam indicados ou não para individuos diabéticos. Entram na discussão o indice glicemico e carga glicemica dos carboidratos, guacamole, castanhas, biscoitos enriquecidos, entre outros. Mais uma vez, obrigado a vcs pela lembrança, pelo carinho e pela festa. video

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Como aumentar o HDL?


A high density lipoprotein é a lipoprotéína de poder de limpeza da circulação (retira o excesso de colesterol) além de exercer atividade antiaterosclerótica e antioxidante. Portanto, devemos estimular o seu aumento. É produzida no fígado e intestino, logo cuidar destes 2 órgãos é fundamental para atingir o objetivo. Dicas mais específicas de como aumentar o HDL são:

1 – Fazer exercício físico
2 – Reduzir inflamação (consumir dieta de baixo indice inflamatório)
3 - Aumentar acidos graxos monoinsaturados (oleico) com vit E
4 - Aumentar flavonoides
5 – Aumentar enzima antioxidante (SOD)
6 - Oferecer antioxidantes e complexo B

Como fazer isso, cada nutricionista tem seu " arsenal ". Alimentos, compostos bioativos, suplementos que eu uso poderão ser vistos nas palestras e cursos que ministro. www.vponline.com.br e www.qualitanutricao.com.br (curso de estetica em brasilia começa em junho.

obs: clicando na foto, vc observa melhor detalhes da parte interna da HDL

domingo, 10 de maio de 2009

Risco dos transgênicos


BRASIL NÃO TEM CONTROLE SOBRE MILHO TRANSGÊNICO

"Produtores do Paraná dizem não ter estrutura para colher, transportar e estocar a primeira safra de milho transgênico do Brasil de maneira que ela fique segregada da produção convencional, relata Agnaldo Brito. A decisão de não separar os tipos de cultivo amplia o descontrole em relação ao uso de produtos modificados geneticamente na indústria de alimentos".

Matéria publicada hoje no jornal Folha de São Paulo deste domingo. Mais um motivo para priorizar consumo de alimentos orgânicos.

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Comer a noite engorda?


Já postei algo sobre isso aqui e quero abordar hoje um outro aspecto que é patológico. Artigo publicado este mês (cliquei aqui para ler o artigo na integra), mostra que uma doença chamada SÍNDROME DOS COMEDORES NOTURNOS ou SÍNDROME DO COMER NOTURNO (NES ou SCN), está relacionada à disfunções neuroendócrinas, especialmente à deficência de alguns neurotransmissores, que acabam afetando o ciclo circardiano provocando um apetite insaciáveil no período noturno. Nesta situação, as vias metabólicas para formação de gordura estão mais ativas e a insulina sofre mais resistência, provocando inflamação e obesidade. Segundo o trabalho, a NES ou SCN é de 2,5 e 2,8 vezes mais comum em homens e mulheres obesos, em comparação com os homens e mulheres de peso normal. Novamente, evite consumo excessivo no período noturno e, para regular seu ciclo circadiano, não deixe de tomar um belo café da manhã e não pule refeições.

Em tempo: clicando aqui, vc acessa um link para ver mitos e verdades sobre a obesidade; o que é fato e o que é ficção, baseado em artigos científicos.

obs: só em revista em quadrinhos como a da Magali, que alguém consegue comer tanto, em qualquer horário, atacar a geladeira a noite, e não ganhar gordura. Não faça isso.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Refrigerante causa câncer

Uma pesquisa com 24 refrigerantes realizada pela Pro Teste - Associação Brasileira de Defesa do Consumidor – verificou que sete marcas contêm uma substância relacionada ao câncer, o benzeno. O composto é resultado da reação de um conservante, o benzoato de sódio, com a vitamina C. Não há regra para a quantidade de benzeno em refrigerantes. A pesquisa levou em consideração o limite estabelecido para água potável: 5 microgramas por litro.

A Sukita Zero foi a que apresentou maior quantidade, com 20 microgramas, seguida pela Fanta Light, que tem 7,5 microgramas. Além desses dois refrigerantes, Dolly Guaraná, Dolly Guaraná Light, Fanta Laranja, Sprite Zero e Sukita também extrapolavam o limite para água potável.

A técnica da Pro Teste Fernanda Ribeiro afirmou em entrevista à Folha de São Paulo que ainda é difícil estudar a relação entre o benzeno e o câncer em humanos, mas já se sabe que a substância tem alto potencial carcinogênico. Se consumida regularmente, pode favorecer tumores. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), não há limite seguro de consumo.

É importante ressaltar que consumir o benzeno não significa que uma pessoa terá câncer – a doença depende de vários outros fatores, como predisposição genética e outros hábitos de vida. No meio-ambiente, a substância é decorrente principalmente da fumaça do cigarro e da queima de combustível. Detergente, borracha sintética e náilon a utilizam como matéria-prima.

Em nota, a Cola-Cola, fabricante da Fanta, afirmou que cumpre a lei e que os corantes de bebidas são descritos no rótulo. A empresa também informa que o benzeno está presente em alimentos e bebidas em níveis muito baixos.

A AmBev, responsável pela Sukita, alegou trabalhar sob os mais rígidos padrões de qualidade e em total acordo com a legislação brasileira.

Matéia publicada hoje, dia 6 de maio de 2009, no jornal Correio Braziliense.

terça-feira, 5 de maio de 2009

Para relaxar - e-mail recebido hoje


Sintomas provocados por carência de alimentos

Veja que interessante.... a partir de uma certa idade, temos quase todos esses sintomas, provocados pela falta dos alimentos aqui mencionados.
1. DIFICULDADE DE PERDER PESO
O QUE ESTÁ FALTANDO: ácidos graxos essenciais e vitamina AONDE OBTER: semente de linhaça, cenoura e salmão - além de suplementos específicos.
2. RETENÇÃO DE LÍQUIDOS
O QUE ESTÁ FALTANDO: na verdade um desequilíbrio entre o potássio, fósforo e sódio.
ONDE OBTER: água de côco, azeitona, pêssego, ameixa, figo, amêndoa, nozes, acelga, coentro e os suplementos.
3. COMPULSÃO A DOCES
O QUE ESTÁ FALTANDO: cromo
ONDE OBTER: cereais integrais, nozes, centeio, banana, espinafre,cenoura + suplementos.
4. CÂIMBRA, DOR DE CABEÇA
O QUE ESTÁ FALTANDO: potássio e magnésio
ONDE OBTER: banana, cevada, milho, manga, pêssego, acerola, laranja e
água.
5. DESCONFORTO INTESTINAL, GASES, INCHAÇO ABDOMINAL
O QUE ESTÁ FALTANDO: lactobacilos vivos
ONDE OBTER : coalhada, iogurte, missô, yakult e similares
6. MEMÓRIA RUIM
O QUE ESTÁ FALTANDO: acetil colina, inositol
ONDE OBTER: lecitina de soja, gema de ovo + suplementos.
7. HIPOTIREOIDISMO (PROVOCA GANHO DE PESO SEM CAUSA APARENTE)
O QUE ESTÁ FALTANDO: iodo
ONDE OBTER: algas marinhas, cenoura, óleo, pêra, abacaxi, peixes de água salgada e sal marinho.
8.. CABELOS QUEBRADIÇOS E UNHAS FRACAS
O QUE ESTÁ FALTANDO: colágeno
ONDE OBTER: peixes, ovos, carnes magras, gelatina + suplementos
9. FRAQUEZA, INDISPOSIÇÃO, MAL ESTAR
O QUE ESTÁ FALTANDO: vitaminas A, C, e E e ferro
ONDE OBTER: verduras, frutas, carnes magras e suplementos.
10. COLESTEROL E TRIGLICERÍDEOS ALTOS
O QUE ESTÁ FALTANDO: Ômega 3 e 6
ONDE OBTER: sardinha, salmão, abacate, azeite
11. DESÂNIMO, APATIA, TRISTEZA, RAIVA, INSATISFAÇÃO
O QUE ESTÁ FALTANDO1: Dinheiro, meu filho, dinheiro.
O QUE ESTÁ FALTANDO2: Homem, meu filho, homem.
ONDE OBTER: Quando eu descobrir, informarei.

Campanha: "Diga não ao mala que você tem em casa"

Resposta para pergunta de uma seguidora: quem pode tomar chá branco? Quantidade?


Lili, a pergunta foi preciosa e achei mais interessante fazer uma postagem só para ela em vez de colocar nos comentários:

Na nutrição funcional não existe recomendação diária, existe requerimento diário individualizado; ou seja, cada pessoa precisa ser avaliada para que se descubra o quanto cada um precisa e para que se tenha a real segurança da prescrição.

Se lermos os artigos publicados, a maioria faz testes com 2 a 3 xícaras de chá ao dia, ou de 600 a 1200mg em cápsulas.

Em quem é preciso cuidado com o chá verde: cardiopatas, hipertensos e sensíveis à caféina (risco de alteração da frequencia cardíaca e da pressão arterial), pacientes gotosos e/ou com hiperuricemia (purinas), com alterações da tireoide (pode ser bociogênica), e com osteoporose/osteopenia/osteomalácia/raquitismo (redução na absorção de cálcio).

Vale para chá branco, verde, vermelho, oolong, preto, mate, café.

Resultado da enquete - CCK


A colecistocinina ou colecistoquinina (CCK) é uma substância produzida pelos próprios enterócitos com algumas funções importantes. Duas delas são estimular a vesícula biliar a contrair para liberar a bile e estimular o pâncreas para liberar o suco pancreático (atividade conjunta com a secretina), para dentro do intestino. Ao mesmo tempo a CCK provoca fechamento do piloro (evita retorno do conteúdo intestinal para o estômago) e reduz o esvaziamento gástrico para garantir uma emulsificação mais adequada nos alimentos no intestino. Uma efeito muito estudado atualmente, é sua capacidade de ação no hipotalamo, induzindo à redução do NPY, levando à saciedade. Para isso, ela precisa ser estimulada, e isso acontece na presença de aminoácidos e dipeptídios (aromáticos e ramificados - AACR ou BCAA), bem como na presença de gorduras (ômega-3, ácidos graxos, colesterol, ADEK, fosfolipidios), já que sua função é estimular a chegada da bile. A resposta correta era a única coisa que não está relacionada à CCK, que é o fato dela não ser estimulada pelos carboidratos.

Obrigado pela participação.

domingo, 3 de maio de 2009

Dicas de como obter o ferro dos vegetais!!


O ferro de origem vegetal (Fe+++) é de baixa biodisponibilidade se comparado ao ferro de origem animal (Fe++). Isto quer dizer que a absorção e utilização do ferro encontrado em produtos de origem vegetal é menor. Alguns fatores odem interferir nessa biodisponibilidade.

Cana de açúcar assim como melaço de cana são fontes de ferro, porém de baixa biodisponibilidade. Adicione um pouco de suco de limão ao caldo de cana, fica gostoso e com ferro biodisponível.

A biodisponibilidade do ferro do feijão, assim como ervilhas, também pode ser ajudada por vitamina C e cisteína, presente em limão e presente no arroz
respectivamente.

A soja é outra excelente fonte de ferro, e sua biodisponibilidade pode ser aumentada, fazendo o cozimento dos grãos e depois do choque térmico, refogar com vegetais cítricos, como tomate, e brócolis. Ou então consumir uma granola ou musli com grãos ou farinha de soja que contenha grãos ou farinha de aveia ou aveia em flocos. Soja fermentada (tofu) também é muito disponível.

O ferro do açaí também é pouco biodisponível, portanto é preciso ajudar no processo de sua absorção com frutose, vitamina C e riboflavina (B2). Bata a polpa de açaí evitando o excesso de banana pois tem muito tatnino e coloque um pedação de mamão. Detalhe: já existe açaí em pó, bem interessante para ser utilizada em refeições de criança por exemplo pelo elevado teor de gordura de ótima qualidade, visando aumentar a densidade energética.

Beterraba também tem ferro. Meia xícara de beterraba crua(60g) tem cerca de 0,5mg de ferro, porém pouco biodisponível. Um suco de laranja com beterraba e cenoura resolve o problema.

Vale lembrar que todas as folhas verde escuras são fonte de ferro e em uma salada rica em vegetais fontes de vitamina C ou batidas em sucos, aumentam bem a sua biodisponibilidade. Só não conte muito com o espinafre pelo alto teor de oxalatos neste vegetal.

sábado, 2 de maio de 2009

O que fazer com a gripe suína?

Por enquanto não há nada específico para esta mutação do vírus (H1N1) exatamente por ser muito novo, mas o influenza é muito antigo. Estudos mostram muita eficácia de alguns componentes que eu diria para todos utilizarem. São eles: ginseng, própolis (antibiotico natural), alho, bromelaina (abacaxi), cogumelos agaricus, e claro, muita vitamina C, zinco e selênio (castanhas - veja artigo que mostra que defiencia de selenio reduz atividade do sistema imune contra o influenza), vitamina A e D (ovo), glutamina (suplementos), bactérias probioticas (activia por exemplo) e ômega-3 (linhaça, peixe e ovo enriquecido).

importante: não coma muito neste período, não engorde agora. Há trabalhos mostrando que o excesso de gordura reduz a atividade do sistem imune contra o virus influenza.

importante 2: há trabalhos recentes mostrando que os nutrientes acima citados associados ao chá verde com alguns outros aminoácidos também ajudam a tratar paciente com virus influenza.

Mães, amamentem!!!!

Toda atenção é pouca!!

Recomendem as consultas com nutricionistas.

No dia do trabalho, confirmado. Chá branco reduz gordura!!


Trabalho publicado hoje, dia 1º de maio, confirma que o chá branco reduz a adipogênese (menos formação de gordura) em células adiposas jovens, evitando seu amadurecimento e inflamação consequente. Além de evitar ganhar mais peso, o estudou concluiu também que a concentração de 0,5% a 2% de chá branco, também estimula a lipólise, ou seja, a degradação da gordura já armazenada. O chá branco é um derivado da planta camellia sinensis e o efeito no estudo foi atribuido à catequina presente em alta concentração nesta planta ainda jovem, conhecida como epigalocatequina galato. Ou seja, tomar um chá branco e depois dar uma malhada, e garantia de sumir de vez com a gordura indesejada (fora o rejuvenecimento das células proporcionado pelos inúmeros antioxidantes da camellia sinensis).

Afina, queimar gordura requer muito trabalho!!!

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Manual para tratamento da anemia ferropriva

Não sou muito fã de nenhum manual pois não acredito em receita de bolo para tratar qualquer problema do ser humano. Somos seres únicos, diferentes entre si, logo precisamos de condutas diferentes. Mas um manual pode ajudar a dar o norte, um rumo para onde seguir.

Este que vc obtém clicando aqui,foi produzido pela Sociedade Brasileira de Pediatria.

Feliz dia do trabalho.