sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Creatina: liberada e de futuro promissor!!

Desde a ultima avaliação da ANVISA no começo deste ano a suplementação de creatina para atletas foi regulamentada. Creatina é um tripeptídio formado por arginina, glicina e metionina (s-adenosilmetionina mais exatamente) que está localizada no corpo especialmente nos musculos, em especial no cérebro, coração e musculos esqueléticos, na forma de creatina fosfato ou fosfato de creatina ou fosfocreatina. Tem como função a geração de energia nos musculos para recomposição dos níves de ATP, o que aumenta a capacidade de geração de força muscular e portanto hipertrofia e ganho de massa muscular. Porém, a suplementação de creatina tem indicação para inúmeras outras situações de acordo com a literatura científica mais atual. Em relação ao fator hipetrofia e ganho de massa tenho visto muito na literatura que a creatina micronizada monohidratada é capaz de reduzir os níveis de miostatina, uma proteína que limita a hipetrofia muscular (se usada com leucina e arginina que estimulam TOR, pssivelmente BCAA e até glutamina, fantástico). Há trabalhos que usaram creatina em ratas grávidas e comprovaram que ela protege o musculo diafragmatico dos ratinhos recém nascidos de sofrer danos pela hipóxia induzida no nascimento destes. Há um trabalho que saiu agora no dia 16 de novembro mostrando que a creatina protege o músculo dos danos provocados pela estatina (medicamento usado especialmente para reduzir níveis de colesterol). E o trabalho que muito me interessou saiu no dia 26 de outubro, cujo orientador do projeto foi o Dr. Lancha Jr (educador físico de grande reputação no mundo), que mostrou que a creatina usada por 3 meses seguidos não provoca danos renais em diabeticos tipo 2. Há ainda muitos trabalhos que mostram que a creatina pode ser um protetor e estimulador mitocondrial muscular, o que aumenta a geração de força no musculo (isso é bom para praticantes de atividade física mas também para muitas pesssoas internadas com desnutrição, perda muscular, distrofias musculares e sarcopenias importantes). Tem um trabalho que saiu este ano (agosto) em uma revista conceituada de neurociência (Neurosci Lett) mostrando que a suplementação de creatina melhorou a performance das atividades cerebrais, em especial a memória. Importarte frizar que na maioria destes trabalhos a suplementação de creatina é feita com monohidrato de creatina, oriunda de matéria prima de qualidade, para garantir maior de taxa de absorção e utilização pelas células. Portanto cuidado com o que existe no mercado. Gosto muito de suplemento de creatina com matéria prima da creapure.

2 comentários:

mel.s.k disse...

Olá Henrique, li no blog sobre o efeito da creatinina no aumento da força muscular. Saberia me dizer se o uso de suplementação de creatinina tambem é válido para pacientes com Miastenia gravis? Há algum efeito indesejado?
Obrigada, Melissa

Henrique F Soares disse...

Oi Melissa, há indicação de uso de creatina na myasthenia gravis, porém será preciso saber a origem, se autoimune, ou se está relacionado à doença mitocondrial. Eu não suplementaria a creatina isolada. Converse com seu nutricionista.