sábado, 26 de março de 2011

COMER EMAGRECE!!


Estava lendo a bula de um termômetro e senti vontade de escrever sobre o que li. Explico! O ser humano está cada vez mais sedentário, ou seja, nosso gasto de energia diário é cada vez menor. O gasto energético total de uma pessoa é determinado pela taxa metabólica basal, pela quantidade de energia gasta no exercício físico direta ou indiretamente e pelo efeito térmico dos alimentos (ETA) ou termogênese induzida pela dieta (TID). Ou seja, quando comemos, precisamos gastar mais energia para produzir enzimas, secreções, fazer peristalse, contrair órgãos, transportar nutrientes por entre as membranas, formar partículas de transporte destes nutrientes via corrente sanguinea e/ou linfa, metabolizar em nível celular estimulando vias bioquimicas como ciclo de Krebs, cadeia transportadora de elétrons, enfim, comer promove gasto de energia. Veja que eu disse: comer, e não beber, chupar, tomar, etc. Laranja é feita para comer, mastigando bagaço e fibras, e não para tomar suco de laranja quando o gasto de energia se tornaria mínimo. E aí vem a bula que dizia: não medir a temperatura quando estiver comendo. Porque? Porque neste momento nossa temperatura sobe em virtude do gasto de energia produzido pela TID, energia esse liberada na forma de calor. Comer, de forma fracionada, como os bariátricos são obrigados a fazer, é umas formas de "acelerar" o metabolismo para aqueles clientes que chegam com a reclamação de que tem o metabolismo lento. E claro, o tipo e a qualidade do nutriente consumido naquela refeição (carboidrato, integral ou refinado, proteína, hidrolizada ou intacta, lipidio, saturado ou insaturado, conjugado ou não, etc) também interfere nesta gasto de energia, bem como alimentos que são naturalmente termogênicos.

12 comentários:

Helena Assunção disse...

"O" minha prova de dieto... Essas explicações são sempre bem vindas!!!

Priscylla Barreto disse...

As pessoas hoje, buscam uma melhor qualidade de vida...
E se colocam às disposições do que for necessário para isto..
Uma pena que a GRANDE MAIORIA nao tenha o conhecimento que um simples fracionamento das refeições junto com a forma de consumir e preparar poderiam resolver tudo!!!!!!!!!

Luiza disse...

Seu blog está sempre melhor.
Uma pena que voce não tá atendendo...
Está ministrando aula em alguma faculdade?

Beijos

Henrique F Soares disse...

Oi Luiza,

Obrigado pelo carinho.

Eu estou atendendo na clínica Bem Estar. Nosso atendimento na clínica é uma proposta diferente do que se pratica na maioria dos locais. Fazemos o atendimento em conjunto, eu e Dr Marcelo. Ele faz a primeira entrevista buscando todo o histórico do paciente, depois eu faço a avaliação clínica e a bioquímica (na visão funcional e com conceitos da medicina chinesa), retorna para o Dr Marcelo para fazer a bioressonância (buscando alergias alimentares, nível de enzimas, metais pesados), depois nós discutimos o caso, fazemos o diagóstico e depois o paciente receberá a dieta (se necessário suplementação dietética, exames complementares e indicação de terapias complementares).

Leciono na Faculdade Anhanguera de Brasília (desde 2001)

Anônimo disse...

Boa tarde Henrique,
Sou aluna do cursinho RB, gostaria de tirar uma dúvida. O consumo de soja por homens afeta a sua fertilidade (redução da produção de espermatozóides)?
Obrigada,
Rosângela

Henrique F Soares disse...

Rosângela, eu não arrisco com meus pacientes, ainda mais nestes tempos modernos em que os homens são extremamente pressionados pelo desempenho sexual e pelos inúmeros fatores que provocam redução na espermatogênese. Há muitos trabalhos mostrando que isoflavonas reduzem zinco e testosterona e outros que não encontram nenhum relação. Vão algumas citações para vc pesquisar e tirar suas conclusões. Um abraço e obrigado por participar.

1 - Changes in male reproductive system and mineral metabolism induced by soy isoflavones administered to rats from prenatal life until sexual maturity. Nutrition. 2011 Mar;27(3):372-9.

2 - Potential detrimental effects of a phytoestrogen-rich diet on male fertility in mice. Mol Cell Endocrinol. 2010 Jun 10;321(2):152-60.

3 - Soy, phyto-oestrogens and male reproductive function: a review. Int J Androl. 2010 Apr;33(2):304-16. Epub 2009 Nov 16.

Thaliane Dias disse...

Henrique,
Como vai?
Hj fui a um simpósio na FCS da UnB (I Simpósio Científico - Interfaces da Medicina Translacional: Da Ciência Básica para a Clínica) e seria ingrata se não deixasse aqui meu reconhecimento pela sua dedicação em aprender e se atualizar. É muito bom ver q o conteúdo ministrado em suas aulas é atualizadissimo e que condiz com o que se estuda hj sobre obesidade e síndrome metabólica por nomes renomados no meio científico. Dê uma olhadinha no site da Faculdade de Farmácia se quiser ver o q foi ministrado lá e por qm foi ministrado. Continue assim. Vale a pena fazer a diferença.
Abraços,

Anônimo disse...

Henrique,
Muito obrigada.
Parabéns pelas suas aulas.
Rosângela

apab disse...

Henrique, voce acha que fracionamneto da dieta aumenta o gasto calorico, o metabolismo??

Luiz Felipe disse...

Você calcula as calorias na dieta prescrita aos seus pacientes?

Henrique F Soares disse...

Depende do paciente. Há pessoas que nos procuram porque tem psoriase ou porque apresentam alopécia importante, sem ter nenhum relação com contagem calórica. Diferente de pacientes obesos e cardiopatas. Um abraço

Kiki disse...

Prof Henrique como é bom te encontrar, teu blog é ótimo!! Tenho mtas saudades de tuas aulas, foi em tuas aulas que mais aprendi, e continuo aprendendo em teu blog. E os babys? Não são flamenguistas né?...rsrs Parabéns!! Sucesso em teus empreendimentos. Um abraço em meu prof preferido. Beijos (Se fui incoveniente não precisa publicar)