quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Glutamina para obesidade

Li hoje um resumo de artigo que mostra que o uso de glutamina por via oral (suplemento bastante acessível)pode provocar aumento na liberação de GLP-1. A quantidade utilizada foi de 30g, com pico máximo de liberação ocorrendo 30 minutos após ingestão. O peptídio semelhante ao glucagon número 1 (GLP-1), é liberado em grande quantidade no íleo intestinal, e tem 2 efeitos primordiais. Primeiro é aumentar a liberação de insulina pelo pâncreas, o que pode indicar o uso da glutamina para pacientes obesos tipo II que já apresentam um quadro de diabetes ou estão se encaminhando para isso. O outro efeito é de saciedade, com efeito no centro hipotalâmico da saciedade, reduzindo a liberação de Neuropeptídio Y (NPY); também indicativo para indivíduos acima do peso. Mais uma vez, dá-lhe nutrição funcional.

Forte abraço a todos.

Artigo: GREENFIELD, J.R.; FAROOGI, I.S.; KEOGH, J.M. et al. Oral glutamine increases circulating glucagon-like peptide 1, glucagon, and insulin concentrations in lean, obese, and type 2 diabetic subjects. Am J Clin Nutr; 89(1): 106-113, 2009.

2 comentários:

Nutrição disse...

Henrique,

Quanto a forma da glutamina,tem que ser dipeptideo ou na forma livre.

abraço

Marcelo

Anônimo disse...

Eu me lembro dessa aula!