sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Inflamação aumenta apetite e obesidade

Isto não é lá uma novidade mas o que gostaria de mostrar é que os estudos com o sistema endocanabinóide estão aumentando cada vez mais. Li agora há pouco que a anandamida (N-arachidonoylethanolamine, AEA) é capaz de estimular a diferenciação de adipócitos, ou seja, torna estas células maduras e capazes de produzir citocinas inflamatórias, provocando hipertrofia do adipócito (cabe mais gordura dentro) e resistência à insulina (leva à diabetes e gordura localizada, por exemplo). Mais, a anadamida estimula os receptores endocanabinoides do tipo CB1, que são fortes estimuladores de apetite e redutores da massa muscular (ou seja, quem perde peso não consegue manter o peso perdido). Convido o amigo leitor a observar que AEA (observe o nome mais acima) é feito de ácido araquidônico, que é um derivado do ácido linoleico, da série w6, fortemente presente nos óleo de soja, milho e girasssol. A inibição do AEA é feia pelo OEA, oleiletanolamina, um derivado do ácido oleico, rico no abacate, azeite de oliva, açaí, canola, castanhas, ovo, entre outros.

2 comentários:

Anônimo disse...

Henrique, como sempre vc está de parabéns, sempre estudando e a cada dia só melhora. Obrigada por ter me ensinado o pouco que sei.
Abraços.

Marisete

Henrique F Soares disse...

Valeu Marisete; acho que uma vez te disse, as vezes é melhor dar um passo atrás pra dar dois a frente. Continue crescendo e contribuindo com o blog, quem agradece é a nutrição.