quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Suplemento de Colostro bovino


O Leite é uma rica fonte de proteínas/peptídios e que têm um papel importante como fonte de nutrientes. O suplemento de soro de leite tem sido largamente estudado pelo conteúdo importante de substâncias relacionadas `a obesidade e estética, por exemplo. Mas, mais recentemente o que tem ganhado força é a possibilidade de suplementação em humanos com colostrol bovino. Muitas poteínas e peptidios bioativos são encontrados no colostro e tenho lido trabalhos que mostram sua utilização no tratamento de câncer, asma, diarréia, hipertensão arterial, trombose, doenças bucais, bem como na má absorção de minerais e imunodeficiência. Os seguintes componentes do leite são de particular interesse nos últimos anos: 1)Lactoferrina (LF) tem ação antibacteriana, antifúngica, antiviral, antiparasitária, antioxidante e atividades antitumorais e imunomoduladora. LF também é um potente inibidor de vários vírus como rotavírus, enterovírus e adenovírus. Lf é resistente à digestão e lactentes amamentados tem demonstrado excretar níveis elevados de Lf fecal. 2) A caseína que além do alto valor biologico, tem se mostrado protetora de bacteremia em alguns trabalhos. Há trabalhos com hidrolisados de caseína com função protetora em animais diabéticos, reduzindo o crescimento do tumor e diminuindo cólicas em lactentes. 3)Presença do Polipeptídeo Rico em Prolina (PRP) que tem se revelado com funções immunotropicas, estimulando linfocitos T e inibição de doenças auto-imunes como a esclerose múltipla. 4) A alfa-lactoalbumina (LA) que demonstra ser antiviral, antitumoral, estimulante de serotonina e anti-stress (reguladora do cortisol). 5) A Lactoperoxidase que mostra propriedades antibacterianas. 6) A lisozima é eficaz no tratamento de periodontites e prevenção da cárie dentária. 7) Alta concentração de IGF-1 e IGF-2, estimulantes da lipólise, síntese de massa magra e reguladores da insulina. 8) Alta concentração de imunoglobulinas, especialmente IgG, e também IgA e IgM, potentes anticorpos. 9) POssibilidade de haver maior concentração de ácido linolieco conjugado (CLA) no colostro do que no leite maduro (ainda tenho lido informações conflitantes). 10) Presença de interleucinas, interferon e linfocinas, todas moduladoras da inflamação e do sistema imune. A grande questão é se realmente os suplementos liofilizados de colostro bovino são orgânicos como prometem os fabricantes, em vacas sadias (ex: este período agora é tipico de desenvolvimento da síndrome respiratória bovina - qual o risco na mudança da composição do colostro??), sem antibioticos ou hormonios e em pastagens livres de defensivos agrícolas. Outra questão que ainda me causa dúvidas é a possibilidade de alergias tardias (5, 10 anos depois do consumo), com caracteristica auto-imune, em virtude da alta concentração de proteínas, peptídios e imunoglobulinas específicas para o metabolismo do ruminante (bezerro), e possivelmente não reconhecidas pelo organismo humano. É continuar lendo muito.

Um comentário:

Daniela Brandão disse...

Prezado Henrique,

Li esta postagem antiga no seu blog enquanto procurava sobre colostro. Sou pesquisadora, médica veterinária, e tenho desenvolvido estudos com o colostro. Gostaria de saber se ainda lhe é uma área de interesse e se deu continuidade com seus estudos e pertinentes dúvidas. E gostaria de saber também sobre seu perfil profissional, se possível.
Grande abraço,
Daniela Oliveira Brandão