sexta-feira, 29 de maio de 2009

Bactérias intestinais criam novas vias para formação de lipídios


Estudo que acaba de sair (junho 2009) sugere que fungos benéficos ao nosso intestino foram capazes de criar uma nova rota para dessaturação e elongação de ácidos graxos essenciais, ou seja, da série w3 e w6. Segundo os autores, a levedura ou fungo Saccharomyces cerevisiae foi capaz de promover formação de ácidos graxos novos, o 20:2 w-6 e o 20:3 w-3, por ação de uma enzima até então desconhecida, a delta 8-dessaturase. Por esse mecanismo, a formação do DGLA (dihiomogamalinolênico) que é precursor de eicosanóides da série 1, e do EPA que é precursor de eicosanóides da série 3 e 5 (todos antiinflamatórios), pode ser estimulada, o que traz benefícios em pacientes que porventura tenham polimorfismos para as enzimas tradicionais, especialmente as que inciam a cascata de dessaturação (delta 6 dessaturase. Isso traz à tona mais uma vez a importância de cuidar da ecologia intestinal, aumentando a presença da microbiota probiótica, por exemplo com levedura de cerveja, fonte de Saccharomyces cerevisiae, levando à menor inflamação e redução de doenças como diabetes, hipertensão, lupus, gota, artrite, dislipidemias, alergias, entre outras.

Para ver melhor a figura, clique diretamente nela.

5 comentários:

Marília disse...

Olá Henrique!

Sou nutricionista e lendo seu texto sobre o estudo, fiquei com uma dúvida. Até então, a conduta nutricional em casos de candidíase era excluir alimentos fontes de leveduras, sendo o levedo de cerveja um deles. Isso, aparentemente, cai por terra? ou não?

Henrique F Soares disse...

Oi Marília, legal ter vc participando.

Eu particularmente acredito na retirada/restrição do excesso de alimentos fontes de levedura, alimentos naturalmente contaminados, fermentados. Mas acho ainda mais efetivo restringir/retirar fontes de sacarose (alimento para cândida), vinhos e queijos, castanhas em geral, cereais mal acondicionados e introduzir alimentos e CBA´s que possam combater a candida, como alecrim, orégano, ácido caprílico (TCM), alho, babosa, entre outros. Estas referencias bibliográficas abaixo mostram a S. cerevisae pode combater a candida, inclusive por concorrência. Associe as sacaromyces com lactobacilos e as bifidobactérias.

Fitopatol. bras. vol.30 no.1 Brasília Jan./Feb. 2005
Med Mycol;45(8):691-700, 2007 Dec
Mycoses;52(1):29-34, 2009 Jan.

Um abraço.

Marília disse...

Olá Henrique!

Obrigada pelos esclarecimentos e pelas referências bibliográficas. A ciência da nutrição é dinâmica e isso que faz a nosssa área ser tão adorável. Você é muito competente e antenado. É um prazer visitar teu blog e faço isso com frequência.
Mais uma vez obrigada e um grde abraço

arnaldovcarvalho disse...

FANTÁSTICO POST, e fantástico site. Parabéns, pessoa consciente! Um abraço do Arnaldo V. Carvalho

Cecília Silveira disse...

Olá Henrique. Sou nutricionista e me interessei muito por esse artigo comentado por voce. Seria possível me passar a referência? Desde já agradeço. Parabéns pelo blog!