segunda-feira, 29 de junho de 2009

Colesterol baixo e suicidio

Alterações comportamentais estão diretamente relacionadas aos niveis de colesterol. Diversos trabalhos tem mostrado que o metabolismo da serotonina e do GABA estão diretamente relacionados com o colesterol. Alguns artigos que li mostram que flutuações séricas de colesterol induzem modificações na concentração dos receptores de serotonina, possibilitando o surgimento de comportamentos prejudiciais impulsivos, como tentativa de suicidio. Há trabalhos em macacos submetidos
a dietas restritivas que apresentaram níveis de colesterol reduzidos, menor concentração de metabólitos de serotonina no líquido cérebroespinhal e maior incidência de comportamentos impulsivos e agressivos, quando comparados a animais que receberam dieta rica em colesterol. Além disso, o colesterol é precursor de pregnelonona, e quando o transporte mitocondrial desta substância no cérebro é aumentado, ocorre maior formação de neuroesteroides, que são moduladores alostéricos positivos de receptores gabaergicos, ou seja, estimulam o GABA, levando a menor numero de decisõs preciptadas ou impulsivas. Estas considerações são importantes pois a prescrição de medicamentos hipolipemiantes (estatinas) é abusiva, além da propaganda infundada (e as vezes defendida por nutricionistas mal infomados) de que colesterol é sempre ruim, colesterol mata, colesterol é vilão, etc. O que mata são as coisas fora do equilíbrio, em qualquer nível da vida. Por exemplo, pensando pelo outro lado, o excesso de colesterol pode levar ao excesso de GABA e por consequencia, inibição do SNC, com indução de depressão e perda de raciocinio lógico e perda de memória.

3 comentários:

Gisele disse...

Oi Henrique! Tenho uma paciente que tem colesterol 80 mg/dl e HDL 20 mg/dl e não sobe por nada nesse mundo. Você acha que tem alguma coisa realmente efetiva para isso? E esses valores são graves?

Obrigada!

Luiz Felipe Albuquerque disse...

E no caso de pessoas que se alimentam de modo a não ser um grande causador de colesterol alto, mas mesmo assim apresenta colesterol alto hereditário, a nutrição tem bom efeito em colesterol alto hereditário?

Henrique F Soares disse...

Sim, melhoramos bastante o resultado. Alguns casos é preciso tomar medicamento sempre. Mas muitos casos em que se acredita ser dislipidemia hereditária, são na verdade erros funcionais orgânicos.