quinta-feira, 18 de junho de 2009

Leite com cereal recupera melhor o músculo do que isotônicos


A recuperação muscular pós exercícios extenuantes é fundamental par manter a capacidade funcional do praticante de atividade física, visando a atividade seqüencial, seja no mesmo dia ou no dia seguinte. Além disso, a recuperação do conteúdo de proteínas musculares reduz a fadiga e acelera o tratamento de microlesões. Um estudo publicado no Journal of the International Society of Sports Nutrition, comparou dois grupos, um tomando um suplemento isotônico (6% de cho e eletrólitos) ao fim do treinamento e outro tomando 350ml de leite desnatado com 73g de um cereal integral, também ao fim do treinamento. Os autores observaram aumento significativo nos níveis de insulina com o cereal + leite (L+C) comparando com o isotônico, o que favorece a captação de glicose e reconstituição de glicogênio, bem como captação de aminoácidos para a célula muscular. Além disso, os níveis de lactato no grupo L+C foram inferiores ao grupo com isotônico, justificado pela maior captação de glicose pela célula muscular e rápida transformação em glicogênio, reduzindo sua transformação em lactato. O resultado mais significativo foi o aumento de mTOR (Alvo da rapamicina em mamíferos) e AKT, que são fatores de transcrição nuclear. A AKT por exemplo está envolvida com aumento na transcrição do GLUT4, o que favorece a captação da glicose. O mTOR é uma proteína quinase que apresenta forte indução de fosforilação e síntese proteica; já é bem conhecida a capacidade da leucina em estimular aumento de mTOR, e estudo objetivava verificar se o leite, que é uma fonte de leucina mas também de outros aminoácidos, também conseguiria estimular o mTOR da mesma forma que a leucina isolada, o que ficou comprovado. Este é um resultado importante pois reduz o custo para nossos atletas.

3 comentários:

Marcelo Carvalho disse...

Henrique,

A leucina isolada e o leite estimulam a M-TOR, porém a PTN do leite (caseína) tem a digestibilidade e absorção mais lenta o que compromete a recuperação pós-treino. Será que apesar do baixo custo o uso do leite no pós-treino comprometeria a sintese protéica (hipertrofia) de um atleta de força?
A melhor opção não seria a PTN do soro do leite que além de rápida absorção é rica em leucina?

Desde já, agradeço.

Henrique F Soares disse...

Marcelo, o trabalho apresentado foi apenas para mostrar que é melhor dar qualquer fonte proteica com carboidrato após treino, do que dar apenas carboidrato. 2 - Os suplementos de ptn do soro com certeza tem melhor digestibilidade e seriam melhor opção, a diferença que abordei foi custo. Dias atrás orientei um cliente de Hidrolândia (Goiás) sem a menor condição de compra de nenhum suplemento. Comprar germen de trigo e farinha de aveia já aumentava bastante o custo dele.

Viva Mais Personal disse...

Ola Henrique. Gostaria de receber informações acerca das células m-tor, qual sua função específica no metabolismo, e o que de tão diferente ocorre na ação pós treinamento muscular, aeróbio etc.
qual a mágica? Te pergunto isso pois recebi uma crítica referênte a minha metodologia de trabalho que é baseada em fisiologia, nas 3 vias geradoras de ATP e nos 4 substratos Cr-p/ lipolise/ glicolise e proteolise, o que não fui eu quem inventou e sim é pesquisado e estudado a muito tempo ( o problema é que nem todo mundo que lê entende)minha metodologia é baseada pelo ACSM/NYHA obtenho resultados excelentes em se tratando de treinamento para a redução de gordura, hipertrofia muscular, endurance, desenvolvimento da capacidade do músculo cardíaco e reabilitação do mesmo na fase III e o que me foi dito é que o treinamento anaeróbio no caso força dinâmica por exemplo fibras do tipo 2A anaeróbias é concorrente com o treinamento das fibras do tipo I oxidativas e consequentemente não poderia utilizar numa mesma sessão de treinamento. Meu Deus do céu, não são duas vias distintas??? uma já diz glicolitica e a outra oxidativa, os substratos são diferentes as vias são diferentes. Foi aí que o cidadão mencionou um artigo que nem sabia direito o autor informando sobre essas m-tor etc etc. Cara, não existe mágica isso não é feitiçaria é fisiologia está escrito pra quem quiser ler basta entender, na verdade não podemos apertar um botão e escolher por exemplo apenas o substrato gordura para gerar energia, ou só glicogenio, acredito que você e qualquer outra pessoa que estuda sabe que todas as vias trabalham consecutivamente o que fazemos, e isso, é que nos faz melhores ou piores em nossa profissão é sabermos dosar, otimizar essa ou aquela via de acordo com os objetivos prescritos, frequencia, intensidade, volume. Desculpe o desabafo mas meu Deus do céu o que estão ensinando nessas faculdades?
Um abraço